quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Fancy a coffee?

Há coisas que vêm com a idade, dizem uns. Há coisas que nascem connosco, dizem outros. Comigo, veio com a idade. Demorou, mas chegou. O gosto pelo café. Lembro-me de odiar profundamente, de achar completamente um ABSURDO o facto de "tanta coisa tanta coisa" pelo café! Caramba mas "aquilo" é amargo! Não é doce! Nós gostamos de coisas doces... certo?

Pois, mas entretanto cresci. E assim como também não gostava de bacalhau, passei a beber café e a pedir à santa mãezinha que fizesse um "bacalhauzinho espiritual para o almoço de Domingo".

Dei por mim a apregoar a minha necessidade de café "para acordar". Dei por mim sentada num café a saborear o seu gosto na minha boca. Dei por mim rendida aos seus encantos e sabores. Soube, desde então, que tinha perdido a guerra.

4 comentários:

tiagolessa disse...

A mais íntima relação das moléculas de café com nossas papilas gustativas, que nem toda a gente atinge, mesmo que, na minha opinião, seja a que dá mais prazer, é quando o saboreamos sem qualquer atenuação açucarada. Espero que lá chegues.

Luís Lima disse...

Com a tonalidade certa (se bem que comigo é complicado, visto ser daltónico)e o perfeito equilíbrio entre o doce e o amargo (no meu caso, a fugir para o amargo de preferência). Curto ou duplo, de grão de óptima colheita ou de marca perfeitamente banal, logo que seja de qualidade minimamente aceitável. Consumível com uma boa companhia ou simplesmente sozinho, enquanto se pensa seja lá no que for; a companhia da pessoa poderá ser substituída por uma breve leitura do jornal do dia ou meia duzia de páginas do livro que poderá actualmente estar a ler. Tomado calmamente numa esplanada à beira da praia, ou em pé no café da esquina, enquanto se procura despachar o assunto de modo a evitar chegar atrasado ao trabalho. Em alturas mais (ou menos) apropriadas, acompanhado de um suave licor, um refinado vinho do porto, ou whisky. Novamente, no meu caso, sempre seguido de um ou dois Português Suave. Óptimo!

Fica a sugestão de um filme que aborda esta questão: "Coffee and Cigarettes"

Ps: O filme não será todavia do agrado de todos os que tiverem a curiosidade de o ver. Eu gostei, mas eu sou um tipo estranho!

Bons cafés!

Corset disse...

Agradecemos a sugestão que será, garanto, tida em conta.

Bons cafés :)

Pegs disse...

pff...fraca..sou um sobrevivente, e também cresci...ou não.