quarta-feira, 24 de junho de 2009

Antes só que mal acompanhado!

No que toca a amigos, sempre fui bastante independente. Dei o melhor de mim (o que tinha e o que não tinha) e acabei sempre por me lixar por isso. E o facto é que enquanto pessoa que se lixou constantemente tornei-me, inevitavelmente, numa pessoa fria e um bocado cabra. Não demonstro por tudo e por nada o que sinto, como gosto e o quanto gosto. É muito raro fazê-lo e quando o faço, tem de ser espontâneo e tenho que ter mesmo necessidade de o demonstrar. Ora acontece que com isto tudo, Corset Maria tornou-se numa pessoa exigente. Sucede que a meio do meu processo de reciclagem de amigos dei por mim a deitar fora, no mínimo, uns 10/15 "amigos" (que "desceram de divisão" e passaram a ser "colegas"). Conclusão: fora o "respectivo", tenho cerca de 4/5 pessoas que posso considerar de amigas. Mas nem é esse o caso. Porque esses "amigos" estão presentes para o que for preciso e não há nada a reclamar quanto aos mesmos.

O problema é : tenho mesmo saudades de ter um grupo de amigos coeso, com quem pudesse sair para me divertir (diz que os amigos que tenho são de "grupos" diferentes e incompatíveis. Sim eu é que sei o que é compatível ou não na minha vida!). Tenho saudades de poder combinar saídas, jantares... Tenho saudades, pronto! Mas infelizmente as pessoas são demasiado idiotas para mim (ou hipocritas, ou parvas, ou com a mania, ou saloias, ou burras, ou cromas, ou tansas, enfim, uma infinita variedade de qualidades que não me agradam lá muito... leia-se, que não suporto!), e eu não estou propriamente disposta a abdicar dos meus "padrões" para "ter" um caralho de um "grupo de amigos". Não estou. Seria estúpido, seria ridículo. Por isso vou continuando à espera que apareça na minha vida um grupo de pessoas de alma iluminada (que se suportem uns aos outros faxabore!) com quem possa conviver... Diz que era mesmo giro.

Meanwhile, vou-me divertindo com quem posso: o "respectivo", a amiga, a "família"... Esses sei que me proporcionam momentos incríveis e únicos (não me queixo, de todo!). Mas não posso misturar tudo...e, neste momento, falta mesmo qualquer coisa...

E volta e meia, Corset dá-se conta que sempre foi e, pelos vistos, sempre será uma pessoa individualista e solitária, mesmo que rodeada de gente.


Fotografia: Gavin Bond

10 comentários:

Satine disse...

tiraste-me as palavras da boca!! ate ha bem pouco tempo tinha um grupo de amigos bem coeso.. que claro, depois deu asneira.. o diz que disse começou a funcionar, ninguem era sincero com ninguem.. e puuuf. eu segui logo o meu rumo.. tambem sinto saudades é verdade. mas prefiro ter amigos verdadeiros, "separados" entre si, conhecem-se uns aos outros mas nada de amizades profundas e acabou. é mesmo melhor assim. as pessoas já de si são estranhas, quanto mais em grupo..

muito bom post!

kiss kiss*

Puzz disse...

aqui por estes lados o grupo continua coeso... mas estamos a perder elementos à medida que o tempo passa... será que todos eles pensam em casar e ter filhos e esquecem os amigos?

Miss Kitty disse...

Este post até podia pertencer ao meu blog. Sou muito céptica com as amizades hoje em dia depois de já ter tido algumas desilusões.

BJS*

Daisy Maria disse...

é que tens toda a razão: mais vale só que mal acompanhado! compreendo-te tão bem que nem me imaginas..

Smootha disse...

Parecias eu...

Nessa disse...

Corset,é muito fácil certos "amigos"caírem para o patamar de colegas,mas é bem mais difícil alguns colegas subirem ao patamar de "Amigos"...
faço-me entender?
Beijoca

S* disse...

Amigos verdadeiros? Irma e ex namorado. Nao mais.

E sim, queria saidas e jantaradas em grupo...

S. disse...

É a primeira vez que cá venho e tive de deixar uma 'marca', porque o tema é sempre algo ao qual sou sensível... Falar de amizades para mim é sempre algo complicado, ou porque tive a desilusão (como sei que já alguns tiveram) de considerar alguém nosso amigo e essa pessoa afinal ser tudo menos isso, ou porque mais recentemente me tenho vindo a aperceber que são poucas as pessoas que considero minhas amigas, mesmo quando as próprias me consideram suas amigas. E penso para comigo mesma se serei má pessoa por isso, exigente demais, etc... Chego a poucas conclusões.
Também gostava de ter um grupo coeso de amigos, como alguns que vejo, mas não sei se é algo que me seja possível. E, nessas alturas, dou comigo a analisar alguns desses grupos e aí percebo que nem todos são tão unidos como parecem. Enfim, aquilo de que amigos verdadeiros são sempre poucos mas bons sempre me pareceu uma grande verdade...
Conheço isso da "reciclagem de amigos", às vezes é muito importante mesmo.

P.S.: Adorei a playlist do blog.

*Sininho* disse...

Custa aceitar que aqueles que foram tão importantes para nós, os nossos amigos, afinal não são exactamente o que nós pensávamos. Mas acho importante mantermos os nossos padrões, aquilo em que acreditamos, ainda que isso doa...
E, com certeza, farás mais e bons amigos! Não deixes de acreditar nas pessoas, não te feches!

Beijinhos*

RdS disse...

Não me copules, aih o orgão sexual masculino já! (que eu agora sou uma pessoa fina e cheia de decências)

eu sou espectacular e maravilhosa e até que simpatizo com a tua simplória pessoa! lool

gramo-te, sua osguinha!!

(by the way Iluminada é o meu nome do meio!)