sexta-feira, 16 de abril de 2010

E é por isso que qualquer gesto carinhoso meu, é um autêntico fenómeno astronómico.


Uma vez, em jeito de desabafo, alguém me disse que eu mantinha uma parede que me impedia de confiar e relacionar com outras pessoas. Algo do género. Uma espécie de "tu não te entregas, nem deixas ninguém entrar". Hoje acho que o meu problema não era, nem é, uma parede, mas sim um cofre altamente seguro, imprevisível, quase que impenetrável. O nosso problema não residia nem no cimento, nem nos tijolos. Era uma questão de password.


[Felizmente lá fui ganhando juízo. Pouco, mas o necessário.]

10 comentários:

Pequenina* disse...

Humm...algo q temos +- em comum!

Lila* disse...

Outro dia ouvi o teu blog na radio e gostei mt:) Parabens!

Satine disse...

Pois.. e é isso que às vezes me falta um pouco.. diria que deviamos conseguir sempre chegar ao meio termo, mas é sempre tão dificil.. pelo menos para mim que costumo ser uma pessoa de extremos**

beijocaaa!

Anira the Cat disse...

a password é sempre essencial, apenas nuns casos é mais fácil aceder a ela que em outros.

Bjokas

Annie disse...

Já me disseram algo desse género...

CCruz disse...

story of my life.

bjs

silk disse...

eu tenho a password!

Kikas disse...

ai corset.. cada vez me convenço mais que somos mesmo irmãs! (lol) eu sou TÃO assim, rapariga. e eu não sei se quero ganhar juízo.. estou mais sozinha assim mas também não sei deixar que veja o meu interior quem nada faz para o ver.

Corset disse...

Kikas, sis (^^), só deves deixar entrar quem merece. Mas eu era fria mesmo com quem merecia ser bem tratado. Agora sou só fria com quem não tenho confiança e sou um docinhoooooooo com quem gosto ^^

Kikas disse...

eu sou mais ou menos assim ;) eheh