quarta-feira, 28 de abril de 2010

Prometo que é o último post cócó. Depois virá a diarreia cerebral que se concretiza no meu "aparvalhanço do costume".


"Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
- Sei que não vou por aí!"
José Régio

6 comentários:

Waldorfa disse...

Muito bonito mesmo!

Kikas disse...

uma frase que costumava muito dizer 'não sei para onde vou mas estou a caminho' :)

Other Me disse...

É o meu poema preferido..

Anira the Cat disse...

"Cântico Negro"...muuuuuito bom!
Também só vou por onde me levam os meus próprios passos...

Bjokas

Wolve disse...

a imagem assenta no poema que nem uma luva... :D

Corset disse...

Obrigada Wolve :)